Maia: 'Não esperava que o advogado do presidente pudesse me chamar de criminoso'

domingo, outubro 15, 2017

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia - Ailton de Freitas / Agência O Globo

Presidente da Câmara reage às críticas de Eduardo Carnelós sobre delação de Funaro


Após o advogado do presidente da República Michel Temer, Eduardo Carnelós, emitir nota neste domingo (15/10), na qual manteve críticas à divulgação dos vídeos da delação do doleiro Lúcio Funaro, que foram tornados públicos pela Câmara dos Deputados, o deputado Rodrigo Maia (Democratas/RJ), presidente da instituição, reagiu duramente.

— Não esperava que o advogado do presidente Michel Temer pudesse me agredir dessa forma, me chamar de criminoso. E depois, vendo o erro que cometeu, ele deveria ter tido a coragem de recuar. O ser humano erra e deve admitir o erro — afirmou o presidente ao jornal O Globo, completando:

— Se ele quer admitir o erro pela metade, continua dizendo que eu e os servidores da Câmara dos Deputados, somos criminosos. Sou o presidente da Câmara Federal e o responsável por publicar aquilo que foi autorizado pelo Supremo Tribunal Federal - STF. Na nota divulgada neste domingo, o advogado de Temer tentou amenizar a crise com a Câmara, mas manteve a crítica à publicidade dada aos vídeos em que Funaro faz acusações contra o presidente da República:

"Jamais pretendi imputar ao Presidente da Câmara dos Deputados a prática de ilegalidade, muito menos crime, e hoje constatei que o ofício encaminhado a S. Ex.ª pela Presidente do STF - Supremo Tribunal Federal, com cópia da denúncia e dos anexos que a acompanham, indicou serem sigilosos apenas autos de um dos anexos, sem se referir aos depoimentos do delator, que também deveriam ser tratados como sigilosos, segundo o entendimento do Ministro Edson Fachin, em consonância com o que tem decidido o Supremo Tribunal", disse o advogado na nota.

Voce pode ler também

0 comentários