Quando o eleitor quer ninguém muda, 2018 será de mudanças na política

terça-feira, outubro 17, 2017




Uma pesquisa divulgada recentemente pelo Instituto Datafolha revelou que cerca de 60% dos eleitores que indicam sua preferência por Jair Bolsonaro (PSC/RJ), caso ele concorresse à presidência do Brasil, são jovens, com menos de 34 anos. A mesma pesquisa indicou o fato de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, (PT/CE), lidera as intenções de votos nos primeiro e segundo turnos, mesmo condenado e sendo réu em outros processos da Operação Lava Jato.

Para aprofundar o entendimento sobre estes cenários, a revista IHU On-Line entrevistou, por e-mail, o militante social e produtor audiovisual Caio Almendra e os professores e doutores em Filosofia Moysés Pinto Neto e Rodrigo Nunes. Para os três pesquisadores foram feitas as mesmas duas perguntas.

Almendra afirma que, para se compreender por que uma eventual candidatura de Bolsonaro recebe adesão de setores mais jovens, é preciso antes entender a maneira como ideias e, principalmente, a imagem desse político se difundem. "Bolsonaro e seus satélites são extremamente eficientes na internet, mobilizando afetos a partir de discursos rasos, ufanistas e sensacionalistas", explica.

Voce pode ler também

0 comentários