Assembleia do Rio decide soltar Picciani, Paulo Melo e Albertassi

sexta-feira, novembro 17, 2017

FOTO: ANIA REGO/AGÊNCIA BRASIL, FABIO MOTTA/ESTADÃO E ALERJ



Por 39 votos a 18 deputados estaduais decidem revogar prisão de presidente da Alerj e mais dois deputados peemedebistas



A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) decidiu, nesta sexta-feira (17/11), por 39 votos a favor e 18 contrários, soltar os deputados fluminenses Jorge Picciani (PMDB), Paulo Melo (PMDB) e Edson Albertassi (PMDB). Os parlamentares foram presos nesta quinta-feira (16/11), por votação unânime do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), acusados de lavagem de dinheiro, corrupção, associação criminosa e evasão de divisas.

A decisão da maioria dos deputados segue o relatório da Comissão de Constituição e Justiça da Alerj, pela revogação da prisão: no colegiado o parecer teve 4 votos a favor e 2 contrários. O filho de Picciani, Rafael Picciani (PMDB), se absteve. Enquanto o conjunto dos deputados analisava o caso em plenário, nesta tarde, manifestantes protestavam do lado de fora, pedindo que os três acusados continuassem na cadeia. A Polícia Militar usou bombas de efeito moral para conter o protesto. Além disso, o acesso à Alerj ficou restrito.
Prisão decretada

A maioria dos desembargadores da primeira seção do Tribunal Regional Federal da 2º Região (TRF-2) votou pela prisão preventiva e afastamento dos mandados dos parlamentares do Rio. Os deputados estaduais foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) por supostamente usar a Assembleia Legislativa para praticar os crimes dos quais são acusados. Picciani, Melo e Albertassi foram alvos da Operação Cadeia Velha, desdobramento da Lava Jato.


Voce pode ler também

0 comentários