MDB foi o partido aliado que mais votou contra Temer no Senado

quarta-feira, janeiro 31, 2018

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil


O MDB de Eunício Oliveira e Renan Calheiros deu 89% dos votos possíveis ao governo. O ex-presidente do Senado Federal foi uma dos principais oposicionistas do presidente na Casa


O presidente da República Michel Temer desfrutou de uma situação mais confortável no Senado do que na Câmara dos Deputados em 2017. Os governistas deram 9, de cada 10 votos possíveis, a favor do governo nas principais votações do ano. Dos 386 votos que poderiam ser dados pelos aliados, só 38 contrariaram a orientação do Palácio do Planalto. Desses, 14 foram registrados por senadores de seu próprio partido, o MDB Nacional, o campeão das "traições" em números absolutos.

Os dados são de levantamento exclusivo do Congresso em Foco, que também mostra como cada senador votou nas deliberações mais importantes do ano passado, como as reformas trabalhista e do do ensino médio e a recuperação fiscal dos estados, entre outras. Foram analisadas 12 votações. Em 10 delas, o governo pediu aos seus aliados que votassem "sim" ou "não" de acordo com o projeto. Com 22 senadores, o MDB Nacional ficou apenas na quarta colocação da fidelidade em termos proporcionais.

À frente ficaram o Partido da República (com 100%), o Progressistas (98%), o Democratas e o PSDB (com 96% cada). O MDB Nacional deu 89% dos votos que poderia ter dado ao governo. Na Câmara dos Deputados, o partido de Michel Temer ficou na segunda colocação, atrás do Democratas, do presidente Rodrigo Maia (RJ). Entre os senadores de partidos da base, o mais rebelde foi Roberto Requião (MDB/PR). Opositor declarado da cúpula emedebista, Requião não votou uma vez sequer nas seis deliberações de que participou em que o Planalto orientou o voto.


Voce pode ler também

0 comentários