MPF quer impedir “estelionato post mortem” no INSS

sexta-feira, janeiro 19, 2018



Ministério Público Federal - MPF emitiu uma recomendação ao INSS - Instituto Nacional do Seguro Social para que busque meios de tomar conhecimento mais rapidamente dos óbitos ocorridos em todo o Brasil. O objetivo é impedir a ocorrência do chamado "estelionato post mortem", modalidade de crime na qual fraudadores continuam a receber pensões ou aposentadorias em nome de pessoas já falecidas, ou se aproveitam dos dados dessas para obter novos benefícios.

A sugestão é que o INSS adote uma ferramenta tecnológica que permita tomar conhecimento de um óbito assim que for declarado por um médico, seja de hospitais públicos ou privados, de serviços de verificação de óbitos (SVO's) ou mesmo por parte dos institutos médicos legais e perícias forenses de todo o Brasil.


Voce pode ler também

0 comentários