Nacional na Copa: De pernas tortas e driblador muito prazer, sou Garrincha

sábado, janeiro 20, 2018


Há 35 anos morreu um dos maiores jogadores de futebol do Brasil e do mundo. 


Manuel Francisco dos Santos, o Garrincha, o anjo das pernas tortas. Foi no dia 20 de janeiro de 1983, aos 49 anos de idade. Durante 12 anos, Garrincha foi jogador do Botafogo de Futebol e Regatas, do Rio de Janeiro. Era um autêntico ponta-direita, exímio driblador, que chamava seus marcadores por um mesmo nome: João. O lateral esquerdo Nilton Santos, dizia que sua maior sorte foi jogar no mesmo time de Garrincha. Foram 11 anos na Seleção Brasileira, de 1955 a 1966. Sessenta jogos e 17 gols. Na Copa do Mundo Garrincha participou de três: em 1958, 1962 e em 1966. Pelas pernas tortas quase foi cortado pelas comissões técnica e médica, além de notas baixas nos testes psicológicos que foram aplicados nos jogadores.

Na Seleção, Garrincha seguiu como reserva de Joel e ficou de fora dos dois primeiros jogos, contra a Áustria e contra a Inglaterra. Entrou no time contra a União Soviética e infernizou a defesa adversária nos primeiros minutos da partida, com uma bola na trave do famoso goleiro Yachini. Fez quatro jogos e ganhou todos ao lado de um jovem que também aparecia para o mundo, chamado Pelé. Campeão em 1958, o time quase não mudou para 1962 e lá Garrincha teve a sua mais destacada atuação. No segundo jogo , um empate com a Tchecoslováquia, Pelé se machucou e ficou de fora da Copa. Coube a Garrincha ser decisivo nos jogos fazendo quatro gols e, ao lado de Vavá, sendo um dos artilheiros da Copa.

O atacante fez dois contra a Inglaterra e dois contra o Chile. Expulso neste jogo, Garrincha acabou sendo liberado para atuar na final e foi bicampeão do mundo. Em 1966 quando o Brasil foi eliminado na primeira fase, Garrincha fez um gol cobrando falta contra a Bulgária, jogando pela última vez com a camisa Canarinho, ao lado de Pelé. No jogo seguinte, o ponta-direita fez a última partida de Copa e sofreu a única derrota, por 3 a 1, diante da Hungria. Garrincha não jogou a última do Brasil, contra Portugal. Ao todo, nas três Copas, o Brasil com Garrincha, ganhou dois títulos mundiais, jogou 12 vezes, ganhou 10, empatou uma e perdeu uma. Fez cinco gols e marcou seu nome em definitivo na história dos Copas e do futebol mundial. Hoje, sábado, 20 de janeiro, faltam 145 dias para a abertura da Copa do Mundo Russia 2018.

Fonte: Agência Brasil

Voce pode ler também

0 comentários