Para deputados da base, reforma ainda é rejeitada pela população

segunda-feira, janeiro 22, 2018


Congresso: deputados afirmam que eleitores rejeitam a proposta porque a associam à imagem negativa do governo

Ao contrário do que diz o Palácio do Planalto, a população ainda resiste à reforma da Previdência e questiona os números apresentados pelo governo para justificar a urgência da mudança no sistema. A afirmação é de deputados da própria base aliada do governo, que passaram as últimas semanas do recesso em contato mais intenso com o eleitorado. Eles admitem que essa pressão tende a pesar no voto caso o tema realmente seja colocado em votação no plenário da Câmara em fevereiro.

Deputados contaram ao jornal Estadão que alguns eleitores rejeitam a proposta porque a associam à imagem negativa do governo. Na avaliação desses eleitores, o sistema previdenciário se tornou insustentável por causa da corrupção e agora a conta chega mais pesada para a população. "É difícil convencer alguém do contrário. É difícil separar as coisas para o eleitor porque está impregnado (o conceito)", disse o Deputado Marcos Rogério (DEM/RO). "O fato de (o governo) estar envolvido em coisa errada deslegitima até as medidas acertadas", emendou o deputado.

Na Bahia, o deputado José Carlos Araújo (PR/BA) disse que não há como vender o “produto” porque a população liga os escândalos de corrupção ao governo do presidente Michel Temer. "O eleitor diz que se não tivessem roubado, não iríamos para o sacrifício", contou. Segundo Araújo, seus eleitores acham que a reforma vem em forma de "conta" para o brasileiro pagar, ao invés de a União cobrar dos grandes devedores da Previdência. "O povo ainda não está convencido e a gente tem medo de ser execrado pelo eleitor. O governo precisa convencer o povo para que a gente vote confortavelmente", afirmou o parlamentar.


Voce pode ler também

0 comentários