Relator João Pedro Gebran Neto aumenta pena de Lula para 12 anos e 1 mês em regime fechado

quarta-feira, janeiro 24, 2018



Ao concluir seu voto, o desembargador João Pedro Gebran Neto, relator do caso tríplex do Guarujá (SP) no TRF4 - Tribunal Regional Federal da 4ª Região, disse que há provas que Lula articulou esquemas de propinas dentro da Petrobras e que ele foi um dos articuladores, se não o principal, no esquema de corrupção dentro da estatal. Gerbran Neto aumentou a pena de Lula para 12 anos e 1 mês em regime fechado.
O desembargador absolveu Lula no caso do armazenamento e mudança dos bens do petista patrocinados por ele. Ao abrir a votação, Gebran disse que não prevalecia a tese de usurpação de competência do Supremo Tribunal Federal - STF. A defesa de Lula alegou que o recurso do ex-presidente não deveria ser julgado no TRF4 - Tribunal Regional Federal da 4ª Região. O desembargador reuniu os 13 argumentos apresentados pela defesa de Lula e foi explicando um a um.


Voce pode ler também

0 comentários