Taxa de condomínio vai ficar até 7% mais cara este ano

quinta-feira, janeiro 04, 2018

O que mais influencia no reajuste é o aumento nas contas de água, luz e pessoal, além dos custos com manutenção da estrutura
Além do Verão e das férias, o mês de janeiro é lembrado pelo brasileiro como o período de pagar as parcelas iniciais de uma série de tributos. É nessa mesma época do ano que quem vive em condomínio é notificado pela administração sobre o reajuste na taxa mensal. E, para este ano, os condôminos já podem preparar os bolsos, pois especialistas preveem um acréscimo de até 7% sobre o valor da cota atual. O principal influenciador do reajuste é o aumento nas contas de água, luz e pessoal, além dos custos com manutenção da estrutura, a exemplo de elevadores e área de lazer.
Em 2017, a tarifa de água na Bahia sofreu um reajuste de 8,8%, elevando a cobrança mínima de R$ 25,30 para R$ 27,50; e a conta de luz sofreu uma elevação média de 3%, gerando um aumento de R$ 3,00 a cada 100 kWh. Já o salário mínimo teve um acréscimo de 1,81%, que passa a valer a partir deste mês, saindo de R$ 937,00 para R$ 954,00. Na virada do ano, o déficit gerado por esses aumentos acaba sendo repassado para o bolso dos condôminos.
Além dos custos básicos fundamentais para o bom funcionamento da administração condominial, devem ser considerados ainda o histórico de despesas, as benfeitorias futuras, inadimplência, situação atual das contas, dissídio e encargos trabalhistas, despesas de contratos de manutenção e gastos extras com o final de ano.

Voce pode ler também

0 comentários