Ely Aguiar cobra medidas efetivas de combate à violência no Estado

quinta-feira, fevereiro 08, 2018

Deputado Ely Aguiar Foto: Máximo Moura


O deputado estadual Ely Aguiar (PSDC) cobrou, nesta quinta-feira (08/02), durante o segundo expediente da sessão plenária da Assembleia Legislativa, “medidas enérgicas” por parte do Governo do Estado para o enfrentamento da violência no Ceará. Segundo ele, o Ceará está experimentando a maior sensação de insegurança de toda a sua história. “Se o governo não adotar medidas enérgicas, a situação tende a piorar”, sugeriu. Para o parlamentar, o Governo precisa tomar para si a responsabilidade e tem condições de reverter esse quadro. "O que não pode é ficar enxugando gelo quando se trata de segurança pública. O discurso do governo é cansativo, repetitivo", disse.

Ely Aguiar afirmou, no entanto, que não há omissão por parte do Governo e este tem buscado soluções, porém elas não têm resultado em efeito positivo. O parlamentar lembrou que, por diversas vezes, contestou, à época do Governo Cid Gomes, o modelo de segurança pública, que, na sua concepção, "está equivocado". "Eu dizia que o secretário de Segurança da época, que era o Dr. Roberto Monteiro, estava afundando a segurança pública no estado do Ceará e, principalmente, as nossas polícias Civil e Militar. E foi o que aconteceu", lembrou.

Na avaliação dele, toda a situação é uma herança do governo Cid Gomes, no qual equipamentos públicos de segurança eram construídos, mas não funcionavam. "Delegacias foram inauguradas no governo anterior e passaram meses e meses fechadas porque não tinha nem delegado, escrivão e nem agente de polícia. No governo anterior, a Polícia Judiciária foi colocada em segundo plano", recordou. O deputado contestou a teoria de que a crise local na área se deve à falta de recursos federais. “Nunca na história do Ceará o Estado recebeu tanto dinheiro para investir na segurança pública como nestes últimos anos", apontou.

Em aparte, o líder do Governo, deputado Evandro Leitão (PDT), contestou a declaração do colega. Ele explicou que os recursos recebidos foram para o sistema prisional. "Mas todos os recursos, todos os investimentos no homem, a segurança em si, são oriundos do Tesouro (Estadual)", afirmou, lembrando que o atual Governo é do diálogo e está aberto às contribuições que estejam de acordo com os interesses da população cearense".

Voce pode ler também

0 comentários