Orlando Diniz usou doleiro da Odebrecht para pagar advogado de Lula

sexta-feira, fevereiro 23, 2018


O Antagonista obteve em primeira mão a representação do MPF no âmbito da Operação Jabuti, que prendeu hoje Orlando Diniz, presidente do Sistema Fecomércio RJ e afastado recentemente do Sistema S no Rio de Janeiro. No documento, o Ministério Público Federal - MPF identifica como "suspeitos" os pagamentos ao escritório de Roberto Teixeira, advogado e compadre de Lula, que somaram R$ 10 milhões. Em depoimento ao MPF, Danielle Paraíso, ex-mulher de Orlando, deu detalhes dos pagamentos.


Ela contou, por exemplo, que Teixeira exigiu o pagamento adiantado de R$ 1 milhão e que o dinheiro foi pago através do doleiro Álvaro Novis, que prestava serviço para a Odebrecht. Danielle revelou também que Diniz usou a Fecomércio para pagar Teixeira, mas que os contratos e NF's não eram arquivados na sede do órgão, como deveria ser feito. "A cada nova ação que surgia, havia um novo contrato de honorários. Orlando sempre pagava o que Roberto pedia".

Voce pode ler também

0 comentários