A exploração do trinômio “preta, mulher, favelada”

domingo, março 18, 2018


Precisa ser relativizada a questão de a vereadora Marielle Franco representar o trinômio “preta, mulher, favelada”, tão usado em proselitismos.

É o que afirma o jornal O Globo em editorial.

"Importa é que bandidos, com esse assassinato, buscam sinalizar que o poder é deles. Se fosse Marielle 'branca e rica', a execução precisaria provocar a mesma reação do Estado e na sociedade. A morte de Marielle Franco não pode ser apropriada por interesses partidários ou sectários. À esquerda e à direita. Será impedir que o crime possa mesmo ser um divisor de águas no confronto que Estado e sociedade travam contra o banditismo, a corrupção, contra todas as formas de delitos que solapam a cidadania e os direitos humanos em sentido amplo".

Voce pode ler também

0 comentários