Banco do Nordeste apresenta diretrizes para a indústria

terça-feira, março 20, 2018




Fortaleza, 20 de março de 2018 - O Banco do Nordeste trabalha em mudanças no seu processo de crédito no sentido de conferir maior agilidade no atendimento ao cliente. A informação foi dada pelo presidente do Banco, Romildo Rolim, na manhã desta terça-feira (20/03), em Brasília, na sede da CNI - Confederação Nacional da Indústria para grupo de empresários da indústria nordestina. 

Entre as melhorias para diminuir o tempo de atendimento ao cliente está a realização de cadastro de Pessoa Física e Pessoa Jurídica diretamente pelo site do Banco, sem necessidade de comparecimento do cliente na agência bancária. Romildo conduziu a palestra "Novas diretrizes do Banco do Nordeste para 2018", a convite do presidente da Associação Nordeste Forte, Amaro Sales, e destacou as novas taxas de juros do FNE, resultados do ano passado e desafios da instituição para 2018.

A Associação Nordeste Forte congrega os presidentes das federações estaduais do setor na Região. Os presidentes das Federações das Indústrias de Minas Gerais e Espírito Santo também participaram do encontro como convidados, já que o BNB atua no norte desses Estados. Romildo recebeu demandas dos representantes do setor industrial e destacou a disponibilidade de R$ 30 bilhões do FNE para 2018. O planejamento do Banco do Nordeste para o ano, de acordo com o presidente, é baseado em um tripé que inclui a aplicação do FNE em sua totalidade, agilidade na concessão de crédito e eficiência na regularização de dívidas.

O presidente da Associação Nordeste Forte e da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte, Amaro Sales, ressaltou que a reunião proporcionou uma agenda importante entre a Associação e o BNB, que juntos trabalham para o desenvolvimento e modernização da relação institucional, com foco na geração de empregos. O Banco do Nordeste financia a implantação, expansão, modernização, reforma e relocalização de indústrias, com crédito para investimentos e capital de giro. Os prazos para pagamento são de até 12 anos, com até quatro anos de carência.

                               IMPRENSA - Banco do Nordeste

Voce pode ler também

0 comentários