Pé na tábua para o empréstimo de R$ 4 bilhões a Estados

sábado, março 10, 2018



Com menos de três meses para fazer o dinheiro chegar às áreas de segurança de Estados e municípios, o BNDES traçou uma estratégia para tentar acelerar essas operações e afastar as barreiras que podem deixar alguns governadores e prefeitos de fora. O crédito não precisará ter a garantia do Tesouro Nacional, que é uma espécie de seguro contra calote. Ou seja, é um empréstimo mais arriscado para o banco.

A celeridade é necessária porque o banco só pode fazer desembolsos aos governos regionais até 1º de julho de 2018, por conta das eleições. "Com garantia do Tesouro (a operação) é mais complexa, até em termos de tempo. Não é a alternativa número um", disse Costa. A intenção do banco é liberar neste ano pelo menos R$ 4 bilhões dos R$ 33 bilhões que compõem a linha – o desembolso total é previsto para ser feito em cinco anos.


Voce pode ler também

0 comentários