Temer: “Estão confundindo intervenção civil sobre segurança com militarismo e autoritarismo”

sábado, março 10, 2018

 Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo

O presidente disse ao jornal chileno “La Tercera” que foi vítima de uma 'montagem'


“Estão cometendo o erro de politizar e ideologizar até o risco de vida que sofre a população do Rio de Janeiro, sobretudo os mais pobres, que vivem em áreas afetadas, sob o domínio de traficantes e milícias. É uma atitude, eu diria, irresponsável. Estão confundindo intervenção civil sobre segurança com militarismo e autoritarismo, em um apelo a tristes lembranças do passado. É uma comparação inoportuna. A intervenção é algo que só se realiza em uma situação extrema, como a que, lamentavelmente, vimos no Rio".

Neste ponto, sobre a reação das esquerdas, Michel Temer tem razão, claro, embora tenha negado sua evidente motivação política, após o fiasco da reforma da Previdência no Congresso. "Sou candidato a entregar um país melhor a meu sucessor", acrescentou o presidente, como quem nega a eventual candidatura à reeleição. "Por isso fizemos as reformas, trabalhamos para recuperar o crescimento e, assim, diminuir o altíssimo desemprego que herdamos".

Voce pode ler também

0 comentários