“Alckmin deixará cargo com mais baixa popularidade que já experimentou”

segunda-feira, abril 02, 2018



A lista das adversidades de Geraldo Alckmin na pré-campanha deste ano é bem maior do que na 2006, quando teve uma disputa interna tensa com José Serra antes de ser derrotado por Lula, registra O Globo. E começa em casa. Daqui 12 dias, Alckmin deixará o cargo com a mais baixa popularidade que já experimentou. Sua aprovação está em apenas 28%. Em abril de 2006, esse índice estava em 66%.

A receptividade da candidatura dele pelo eleitorado de São Paulo é vital para a sobrevivência na disputa. Político que mais tempo terá ficado à frente do governo de São Paulo — 13 anos —, Alckmin conta com os dividendos dessa hegemonia para abrir uma boa vantagem de votos no estado em relação aos adversários e chegar ao segundo turno.

É aí que uma segunda dificuldade, que também não existia em 2006, se apresenta. Alckmin está perdendo a eleição em seu próprio estado. Quatro anos atrás, ele foi reeleito no primeiro turno vencendo em 644 dos 645 municípios paulistas, mas hoje perde para o deputado federal Jair Messias Bolsonaro (PSL), líder nas pesquisas. Em 2006, nesse período, Geraldo Alckmin ocupava disparado o topo das sondagens, com 41% das intenções de voto.

Voce pode ler também

0 comentários