Após Gilmar soltar 19, Bretas reage

segunda-feira, junho 04, 2018




Após Gilmar Mendes ter determinado a soltura de 19 presos em desdobramentos da Lava Jato no Rio de Janeiro, o juíz federal Marcelo Bretas disse que a corrupção não pode ser tratada como crime menor, registra o site jurídico Jota.

"(…) Casos de corrupção e delitos relacionados não podem ser tratados como crimes menores, pois a gravidade de ilícitos penais não deve ser medida apenas sob o enfoque da violência física imediata. Os casos que envolvem corrupção de agentes públicos têm enorme potencial para atingir, com severidade, um número infinitamente maior de pessoas (…). Recursos públicos que são desviados por práticas corruptas deixam de ser utilizados em serviços públicos essenciais", escreveu o juiz federal.

Marcelo Bretas se manifestou, em ofício encaminhado hoje ao Supremo, sobre o HC que libertou Orlando Diniz. Ele defendeu a necessidade de prisão do ex-presidente da Fecomércio e disse estar agindo com rigor na Lava Jato do Rio. Desde 15 de maio, Gilmar Mendes concedeu decisões que beneficiaram 19 presos de ações como Câmbio, Desligo, Pão Nosso e Rizoma, em ordens de prisão emitidas por Bretas.

Essa conta inclui os quatro que o ministro do STF soltou hoje.

Voce pode ler também

0 comentários