Apesar da boa safra, não haverá sobra de café e nem estoques elevados já que produção complementaria oferta menor do próximo ano

quinta-feira, setembro 20, 2018

Imagens do Google -


Cooperativa Cooxupé já recebeu mais café do que projetava inicialmente e produto que já chegou à cooperativa tem elevado percentual de qualidade
 

Nesta quinta-feira (20/09), o presidente da Cooperativa Cooxupé, Carlos Paulino, conversou com o Notícias Agrícolas para destacar a colheita de café na área da cooperativa, que já chegou a 98%. Com a safra praticamente encerrada, as chuvas dos últimos dias vieram para "retardar" esse encerramento. Contudo, as perspectivas são boas para a colheita. A Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) estima uma safra de 59 milhões de sacas de café para esse ano. 

Na avaliação de Paulino, o café que irá sobrar dessa safra servirá para suprir o próximo ano, que deve ser de safra baixa. Contudo, maior parte desse crescimento se deve ao café conilon, enquanto o crescimento do arábica não foi tão substancial. Frente a essa realidade, Paulino acredita que os compradores internacionais têm usado de vários argumentos para derrubar os preços na Bolsa de Valores de Nova York (ICE Futures Group), ao mesmo tempo em que o Brasil vive uma situação de indefinição política. Os preços vigentes na bolsa norte-americana são os menores em mais de 10 anos.

A situação é, assim, "difícil e preocupante para o produtor", como salienta o presidente. A perda foi maior do que a alta do dólar no Brasil, embora esta ajude a diminuir o impacto. Quase 90% do café entregue para a Cooperativa Cooxupé até o momento é de boa qualidade. A meta de recebimento de 5 milhões e 600 mil sacas foi superada - o número chegou a 5 milhões e 700 mil, podendo chegar a 6 milhões. Para a próxima safra, algumas floradas já começam a abrir, mas são necessárias novas chuvas para que estas sejam fixadas.


Fonte: Notícias Agrícolas

Voce pode ler também

0 comentários