Delator da OAS afirma que PT pressionou por retomada de propina após inicio da Lava Jato

domingo, dezembro 02, 2018


 
Ramilton Lima Machado Junior, um ex-funcionário da OAS e delator, afirmou à Polícia Federal - PF que a empresa sofreu pressão do PT - Partido dos Trabalhadores após a suspensão das propinas em 2014. "Com a deflagração da Lava Jato, em março de 2014, foram suspensos todos os pagamentos de vantagens indevidas, inclusive as relativas ao prédio da Petros", informou o delator.

E continuou "Nessa época foi procurado por Elmar Varjão [diretor da OAS Norte-Nordeste] dizendo que havia grande pressão para prosseguimento do pagamento de vantagens indevidas relativas a essa obra da Petros". Ou seja, o PT - Partido dos Trabalhadores sempre pensou que a Operação não daria em nada, pois todos os envolvidos poderiam ser comprados. Ainda bem que eles estavam enganados.


Foto: Marcelo Gonçalves/ Sigma Press - Estadão Contéudo


Fonte: O Antagonista

Voce pode ler também

0 comentários