PGR detona pedido de liberdade de Lula: “ilações frágeis e sem provas”

sábado, dezembro 01, 2018



Brasília - A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, durante julgamento sobre suspensão da denúncia do ex-PGR Rodrigo Janot contra Michel Temer e integrantes do MDB Nacional. Raquel Dodge, a procuradora-geral da República, descartou o pedido de soltura de Lula. Para a PGR "a narrativa apresentada pelos impetrantes se apoia em ilações frágeis", e sem "eco de prova".

O pedido de Lula se sustenta na ideia de que Sérgio Moro condenou Lula, o chefe do maior esquema de corrupção já descoberto, por motivos eleitorais – muito embora sobrem provas do envolvimento e liderança de Lula. No documento da PGR, ainda é destacado que para ocorrer a dita perseguição seria necessário um grande pacto entre todos os desembargadores da Oitava Turma do TRF4 - Tribunal Regional Federal da 4ª Região e entre todos os ministros da Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), e da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal - STF

O que, convenhamos, não é nada crível. "Justamente por isso, a hipótese defensiva levantada por Lula, ao fim e ao cabo, busca desqualificar não apenas a atuação do então juiz Moro, mas de quase todas as instituições jurisdicionais do país". Lula será julgado pelo Supremo Tribunal Federal - STF no dia 04 de dezembro de 2018.

 

Fonte: O Antagonista

Voce pode ler também

0 comentários