A propina lulista em Belo Monte

segunda-feira, janeiro 21, 2019




A Polícia Federal - PF produziu um laudo pericial sobre os fatos delatados por Antonio Palocci a respeito de Belo Monte. O documento, anexado ao processo na última quinta-feira (17/01), e reproduzido pelo Estadão, rastreia a propina repassada pela Odebrecht a Lula (codinome Amigo), Edison Lobão (codinome Esquálido) e Delfim Netto (codinome Professor).

Antonio Palocci contou que Lula ordenou a "formação do consórcio alternativo" para vencer o leilão de Belo Monte e que Delfim Netto e José Carlos Bumlai deveriam ser pagos por isso. No caso de José Carlos Bumlai, "havia interesse de Lula no recebimento dos valores", porque "os trabalhos de Bumlai eram feitos, muitas das vezes, para a sustentação da família de Lula".
 

Voce pode ler também

0 comentários